Oioi!

Alô, tímidos! (me incluindo nesse grupo! hehehe) Esse post é pra quem curte visitar blogs de casamento ou sobre maternidade mães e suspira olhando as fotos e pensando “uau, que sonho! Pena que eu não conseguiria posar assim diante das lentes de um profissional… morreria de vergonha!”. Vou te mostrar como é possível vencer a timidez com alguns passinhos super simples, a partir da minha própria experiência como “modelo” e com base no que aprendi como fotógrafa de família. Chega mais! 😉

Em 2011, eu e meu marido resolvemos fazer um ensaio com a querida Marina Lomar em casa, logo depois de decidirmos morar juntos. A ideia era ter um clima intimista, registrar um pouco do nosso dia a dia, o que faz a gente feliz. Como essa é a minha proposta de trabalho, não podia ser diferente, né? A gente morava em um quarto e sala nessa época e umas amigas aflitas ainda perguntaram “vocês vão fazer lá mesmo? Não é pequeno??”. Sim, era pequeno, só que era claro, arejado e, mais importante, tinha a nossa cara, refletia as nossas escolhas.

E por que eu tô te contando tudo isso?

1) Tamanho não é documento. Sua casa pode ser pequena, isso não representa um empecilho para a realização das fotos. Ensaio no lar, doce lar, é amor purinho!;

2) Bate insegurança, sim. É normal! Da mesma forma que acontece com muita gente, deu um baita frio na barriga na véspera. “Será que eu vou sair bonita nas fotos?? Ain, acho que não levo jeito, não… Vou ficar super sem graça”, pensei nervosa. Foi fundamental me colocar no papel de fotografada para entender como dá medo mesmo, rola uma insegurança, mas, sobretudo, que é possível vencer a timidez.

Eu e marido nunca tínhamos feito nada parecido, e eu pude notar que alguns passos simples nos ajudaram bastante a lidar com esse sentimento de forma mais tranquila. Pra resumir, queria te dizer o seguinte:

Escolha um (a) profissional que tenha uma proposta de trabalho com a qual você se identifica. E se tiver dúvidas, escreva pra ele, troque ideias. Conversar com o fotógrafo antes, saber como ele trabalha e o que vai acontecer durante o ensaio transmite segurança. Eu acho essa troca fundamental e ultra prazerosa.

Crie ou opte por um “cenário” confortável para evitar nervosismo na hora do ensaio. Além de ter valor afetivo, como eu comentei nesse outro post, a escolha do lugar é fundamental no quesito timidez. Em casa, a maior parte das pessoas está na sua “zona de conforto” – é onde a gente relaxa, curte, passa seu tempo livre; é onde estão todas as suas referências (e de seus filhos, no caso de ensaios de família). Ah, e você pode definir, por exemplo, que só quer fotos na sala e no quarto, ou na sala e na varanda.

Já se for na praia, num parque, num café ou qualquer outro local público, visite o espaço antes pensando quais são os dias / horários mais calmos, com menos gente, ou quais são os cantinhos mais charmosos e reservados. Isso pode evitar que você trave de vergonha na hora das fotos por achar que tem gente demais olhando.

Eu preferi fazer em casa porque as fotos celebraram esse nosso momento especial, nossa união. Tinham esse simbolismo pra gente. E, olha, foto em casa rende muito, ao contrário do que muita gente pensa! Adoro o resultado justamente porque engloba elementos muito pessoais, inspirações, cores, objetos – conversa muito com a personalidade das pessoas que estão sendo fotografadas, o que torna tudo mais orgânico.

Incorpore às fotos objetos (super queridos / herdados / presentes / trazidos de viagem…), roupas (vintage, feitas pela vovó etc.), referências (fotos, livros), comes & bebes (doces feitos por você ou comprados / seu prato preferido / vinho/ guloseimas em geral), seu pet querido (amo!) e o que mais der na telha. É divertido e ainda tira um pouco o foco de você, inconscientemente. 😉

Eu e marido encomendamos uns cupcakes pra deixar nosso ensaio ainda mais gostoso e colorido, simplesmente porque a gente ama a dupla bolo & café. Ele também tocou guitarra pra mim, já que ele é músico e eu adoro ver aquelas mãozinhas deslizando pelo violão ou na guitarra. Com isso, nos distraímos tanto comendo, cantando, dançando, que nem notamos os cliques da Marina.

20111210_AM_165

Sinta-se confiante e confortável: experimente duas ou três roupas que você ama e teste a maquiagem (se for o caso), pra não errar no dia das fotos e ficar nervosa. É fundamental sentir-se bonita com as suas escolhas.

Eu fiz isso: dois dias antes do ensaio, assisti a uns tutoriais sobre maquiagem na internê. Make básica, só pra ficar com a pele boa, sabe? Testei pra ver o que funcionava em mim. No cabelo, fiz o que já estava acostumada a fazer e achei seguro: dei só uma secada de leve. Também acordei um tiquinho mais cedo no dia das fotos, selecionei três opções de roupa nas quais eu me sentia bonita, que me possibilitavam movimentos confortáveis, pensando também em como elas ficariam coordenadas com a do Marcos.

20111210_AM_014

Confie na (o) profissional que você contratou e deixe que ela (o) te dirija durante o ensaio. O bom fotógrafo ouve, conversa, orienta, entende e respeita o jeito do cliente. Não força a barra pedindo coisas que não combinam você. Então, relaxe!

Eu acredito numa direção suave e divertida. É para ser gostoso, afinal! E quando a química entre clientes e fotógrafo acontece, o ensaio passa voando! A gente nem sente, acaba sendo uma experiência deliciosa, leve, como deve ser mesmo, e o resultado é maravilhoso!

As imagens que ilustram este post, por exemplo, enchem nossos corações de alegria até hoje. São todas nossas, feitas pela Marina. <3

Se você tem vontade de fazer um ensaio de casal, de família, de gestante ou com amigos queridos, encare o medo, vença a timidez seguindo essas orientações simples e produza memória lindas! Elas têm esse poder de fazer a gente voltar no tempo e reviver momentos especiais na hora que quiser!

Para mais informações, me escreva! contato@amandanunes.com.br.

Beijocas!